A conquista do inútil/ manivelas 1 e 2, 2022 [ACDI]

Cadós Sanchez e Marcelo Muniz

A conquista do inútil parte do desejo de remix técnico fundado numa pesquisa estética/ arqueológica do imaginário das (in)utilidades mecânicas geradas pela produção e consumo industrial. Artefatos à manivela, hoje descartados ou descontextualizados que contêm em si o gesto de trabalho, circular, maquínico, são base para a criação de uma nova e pequena orquestra performática-instalativa de corpos sonoros de humanos e máquinas. Durante a trajetória de mais de dez anos em luteria, performances, oficinas, arte sonora e instalações, a dupla vem coletando e coligindo reflexões, objets trouvès práticas e processos de arqueologias e técnicas difusas que, conjuntamente, confluíram para o (re) pensar acerca do consumismo e utilitarismo hodierno.